História de Itaquera na Zona Leste da Cidade de São Paulo SP

A história de Itaquera começa em 1556 quando os jesuítas José de Anchieta e Manoel da Nóbrega, após terem implantado a igreja da Sé e o Pátio do Colégio, partiram em direção ao leste em busca de uma aldeia de índios para instalar mais um núcleo de catequese. A aldeia era dos guianases, onde vivia um português chamado Antonio Rodrigues, casado com a filha do cacique Piqueirobi.

Eles avançaram algumas léguas e instalaram mais um núcleo de catequese, sob a proteção de Nossa Senhora da Ajuda - hoje Itaquaquecetuba. Continuaram em frente achando uma extensa bacia cortada por dois ribeirões e por uma grande floresta. O padre Anchieta perguntou a um índio o nome de tão belo lugar. Ita aquer foi a resposta que significa em tupi-guarani "pedra a dormir" ou "pedra adormecida".

O tempo passou e por volta de 1890, quando o café chegou a São Paulo, dois homens também aportaram aqui: o dr. Francisco Gentil de Assis Moura, juiz, e o dr. Rodrigo Pereira Barreto, advogado e fazendeiro. Eles criaram na região um núcleo misto, residencial e agrícola, e extensas plantações foram introduzidas. O local começou a receber mais e mais colonos, e os proprietários conseguiram a construção de uma estação ferroviária no bairro.

A ferrovia era uma chamariz de gente, e o crescimento veio como em outros bairros. E do mesmo modo, quando o café terminou seu ciclo, Itaquera sumiu do mapa da grande cidade por décadas a fio. Só voltou ao cenário como um bairro de classe média-baixa na década de 60. Cresceu novamente nas décadas seguintes para ganhar o sonhado metrô. Novamente o crescimento acontece na pedra adormecida.

Bairros no distrito de Itaquera:
Bairro do Limoeiro, Cidade A.E.Carvalho, Itaquera, Jardim Aurora, Jardim Itapemirim, Jardim Liderança, Jardim Norma, Jardim Redil, Jardim Naufal, Parada XV, Parque Guarani, Vila Bozzini, Vila Brasil, Vila Campanela, Vila Carmosina, Vila Regina, Vila Santana, Vila Taquari, Vila Verde.

Fonte:
Livro: Bairros Paulistanos de A a Z
Autor: Levino Ponciano
Editora Senac São Paulo