História de Aricanduva na Zona Leste da Cidade de São Paulo SP

O bairro foi fundado e desenvolvido pelos portugueses, a partir de 1940. Um português tornou-se proprietário de uma grande chácara em que cultivava flores e verduras.

Conta-se que ele comprou a área e também um taxi com um dinheiro ganho no jogo do bicho. Chamava-se Gabirel Cardoso e cultivava verduras e plantas ornamentais na chácara.

Sua sorte contaminou seus parentes em Portugal, que resolveram vir para o Brasil e morar nas imediações. Estava dada a largada para o nascimento do bairro. Em seguida, chegaram imigrantes japoneses que se dedicaram à agricultura.

Anos depois, com o falecimento de Gabriel Cardoso, seus filhos lotearam a grande chácara, que se tornou Aricanduva.

Antigamente, toda a área era uma grande fazenda de Luis Americano, dono de muitas terras, e do Parque do Carmo. Ele repassou parte das terras para o então Governador Ademar de Barros, que as retalhou em lotes e chácaras. Aliás, o polêmico governador de São Paulo criou na época uma empresa de loteamentos chamada Aricanduva.

Hoje com grandes shoppings e hipermercados, Aricanduva nem de longe lembra suas origens de bairro pacato de classe média.

O nome veio do tupi-guarani e significa "lugar onde há muitas palmeiras da espécie airi".

Bairros no distrito de Aricanduva:
Aricanduva, Jardim Aricanduva, Jardim Barreira, Jardim Cagucci, Jardim Catarina, Jardim Cotching, Jardim das Rosas, Jardim do Carrão, Jardim Galli, Jardim Mara, Jardim Noé, Jardim Tango, Jardim Vila Formosa, Jardim São Eduardo, Parque Maria Luisa, Parque Santo Antonio, Vila Antonieta, Vila Nova Iorque, Vila Rica e Vila Sara.

Fonte:
Livro: Bairros Paulistanos de A a Z
Autor: Levino Ponciano
Editora Senac São Paulo