História da Mooca na Zona Leste da Cidade de São Paulo SP

Outro bairro com a cara de São Paulo é a Mooca. Sua face é a da miscigenação nacional. Nela estão portugueses, italianos, espanhóis e negros. Todos em um só bairro: paulistanos com sotaque e tudo.

O passado da Mooca é o mesmo da Capital. A história conta que em 1556 os jesuítas construíram uma ponte sobre o rio Tamanduateí. Conta ainda que o nome mooca vem do tupi-guarani e significa "faz casa" ( os índios viam os brancos construindo suas casas e surpresos exclamavam: moo oca). Outra versão conta que os padres ensinavam aos indígenas a construção de casas e, como falavam o tupi-guarani, diziam moo oca.

No início do século 16 a região era o arraial de Nicolau Barreto. Posteriormente, o local foi tomado por grandes chácaras e residências - como se sabe, a Capital dormitou por anos a fio. Finalmente nos anos da grande imigração (1870-90) o bairro ganhou outras feições com a chegada daqueles que dariam nova vida à região: os italianos.

Com eles vieram os trilhos da estrada de ferro inglesa e um ramal estendeu-se até à Mooca. Nessa época outro fator ajudou o desenvolvimento do bairro: em 1876 o fazendeiro Rafael Aguiar Paes de Barros criou o Clube Paulista de Corrida de Cavalo. Inaugurado oficialmente com grande festa em 1890, o empreendimento rapidamente se transformou num centro de lazer dos paulistanos - aliás, o clube foi a semente do atual Jockey Clube e o nascimento do turfe no Brasil.

Os animais eram criados na fazenda de Paes de Barros (no alto da Mooca) e vinham da França e da Inglaterra. Tal área pertencia a Belisário Francisco de Camargo em 1879. A corrida de cavalos foi tão importante para o desenvolvimento da Mooca, que em 1877 se criou a linha de bonde Centro-Mooca, de tração animal, logo substituída por uma linha férrea.

No auge da grande imigração, a presença italiana já se fazia notar pelas ruas da Mooca. Entre 1870 e 1890, a região ganhou as primeiras fábricas de massas. Em 1891 chegou a Companhia Antarctica Paulista, que veio para perto da Cervejaria Bavária, situada na chácara do engenheiro Fox.

Em 1905 a Antarctica compraria a Bavária, num negócio que virou comentário na Capital. E assim o século 20 encontrou a Mooca em plena expansão fabril: fábricas e mais fábricas se instalando no correr dos anos em todas as ruas do bairro e em bairros vizinhos. Era o progresso que se instalava em definitivo na Mooca, dando-lhe o perfil industrial notado até hoje.

Bairros no distrito da Mooca:
Hipódromo, Mooca, Parque da Mooca.

Fonte:
Livro: Bairros Paulistanos de A a Z
Autor: Levino Ponciano
Editora Senac São Paulo